20 de junho de 2007

Das coisas que me prendem


Pelo menos eu sei o que é ter um coração apertado
Que quase nem respira por carregar tantos sentimentos.
Posso não saber das novidades do novo mundo
Ou de qualquer novo escândalo que está sendo comentado.
Não saber se chove lá em alguma cidade do oriente
Ou se aqui na minha casa está chegando um tufão.
Há coisas que não me prendem ao pensamento
E que posso saber sem tem porque me preocupar.
Me importa saber se teus olhos estão com céus claros
Ou se preciso te levar um guarda-chuva se chover.
Me preocupa se a estrada que andas não esteja esburacada
E se a paisagem vai ser uma pintura se quiseres sentar na sacada.
Não quero que repouses sobre as partículas do relento
Posso virar suave vento para te aconchegar.
Há coisas que prendem meu pensamento,
E que quero saber, porque preciso me preocupar.
Não sei em quanto fechou a bolsa de valores
Até porque meu tesouro está depositado em outro lugar.
Inútil me perguntar da minha conta do banco
Penso que há coisas bem mais valiosas para mim cuidar.
Há coisas que passam a toda hora em meu pensamento
Já bem sei o que sinto, não devo mais me preocupar.

( Cáh Morandi )

Um comentário:

marcelo disse...

EXATAMENTE POETISA, TEM COISAS QUE PODEM NAO SEREM TAO IMPORTANTES ASSIM ,MAS SAO AS QUAIS NOS PREOCUPAMOS E TODO CORAÇAO...

Curta