13 de maio de 2007

Recordação de um almoço

Sentados na mesa a almoçar,
Ele começa, com doçura e
Com verdade a falar :
“ Menina, às vezes eu penso
O que passa por tua cabeça ?
Você só pode ser louca!
Você só pode estar a delirar!
Como podes !
Me diga como podes
Por mim se apaixonar ?”
Serena e sorrindo
Coloquei minhas mãos pequenas
Em seus braços cruzados na mesa
E disse com leveza :
“ Como podes!?
Como podes me perguntar!?
Eu te amo porque te amo!
E na minha cabeça, realmente,
Não tem nada a passar,
Tu sabes que o que por ti carrego
Está no coração a palpitar.”
Ele beijou minha mão.
Depois fez-se um silêncio.
A tarde, ele me beijou.
No outro dia me amou.
Na semana seguinte me deixou.
E hoje eu fiz essa poesia.

Nenhum comentário:

Curta