13 de maio de 2007

Para que saibas



E tu fostes
Na imensidão do universo
E no abismo da vida,
O ponto que me segurei
Para não ficar a mercê das horas.
Tu fostes
Como o canto de um pássaro raro
Quando meus ouvidos já se tampavam.
Creias e saibas, tua voz, ainda que falando
É sempre canção para mim.
Tu fostes
O raio de sol a romper a noite fria e calada
Tu agrediste a madrugada e brilhou para mim.
E quando você sorriu, ah Deus meu
Tu eras o próprio sol que me visitava!
Tu fostes
Mais do que um presente divino
Tu e esses teus olhos medrosos de menino
Vieram pra encantar e dar vida
A tudo que em mim dormia.

( Cáh Morandi )

Nenhum comentário:

Curta