24 de abril de 2007

Veleiro




Brilho intenso do sol naquele fim de tarde
O mar sereno, molhando meus pés pequenos
Devorando a areia de grão em grão.
Os raios solares enfraqueciam devagarzinho
Na medida que cada vez mais baixinho
Eu cantava nossa canção.
No chão conchinhas quebradas
Assemelhavam-se com minhas memórias jogadas
Recordando a mesma paixão.
Quebravam as ondas nas firmes rochas
E a brisa que era tão nossa
Não veio pra me abraçar.
E eu penso poder bordar na água
Como bordaria num pedacinho de algodão
Um barco veleiro, com destino certeiro
Navegaria com ele até o teu coração.

( Cáh Morandi )

Nenhum comentário:

Curta