24 de abril de 2007

Exausto




Suas mãos estão cansadas
De tantas madrugadas
Desenhar contra as estrelas
O contorno de meus lábios.

Ele dorme e sonha tão doce
Pensa na vida como se fosse
Eterna pra quem imagina,
Mas não vive o amor.

Seu corpo já exausto e cansado
Desses anos que por ele tem passado
Assim mesmo recusou meu abraço
Que o aqueceria para sempre.

Que lindo seria meu príncipe encantado
Se acordasses até o fim dos dias ao meu lado
E encontrasses sobre a cama
Mais que meu corpo, minha alma tua.

Minha alma nua,
Minha vida e a sua
E amanheceria poesia
Nas manhãs.


( Cáh Morandi )


Nenhum comentário:

Curta