23 de abril de 2007

Do que sei



Que um dia não seja poesia
Do amor vencer o medo.
Que não seja nostalgia,
Todos os nossos segredos.

Que não seja sonho
Teu corpo no meu sedento.
Que um dia cesse
Ser teu todo meu pensamento.

O que sei que dura toda a eternidade
É esse amor de verdade,
Despido de impureza e maldade
Que como cristal, em tuas mãos entreguei.

..

Acho que caiu no chão. Despedaçou-se em mil pedaços.


Curta