12 de abril de 2007

Deságua a minh’alma




Não quero pensar no amor como algo passageiro
Temos sorrisos e beijos, temos abraços e desejos
Que ocupam maior parte de nossas lembranças.
Lembra da minha alma caminhando com a tua
Lembra das loucuras que riamos na noite escura
Lembra que disses nunca me esquecer...
A vida, é tão única
A vida, meu amor, não acontece mais..
E como posso eu partir, sem amar-te jamais ?
Como podes pensar que devo achar outro amor
Se um dia te jurei fidelidade em pertencer-te ?
Lembra de quando dormíamos abraçados
Lembra de como te fazia bem estar ao meu lado
Lembra da nossa música, que cantavas e eu de olhos fechados.
Eu nunca poderia ir embora, eu nunca poderia te deixar
Pra onde vai alguém longe de quem amar ?
Se sentes essa poesia e ela te trouxe nostalgia de nós dois
Não demora, assim que a leres seja qual for a hora
Me ligue sem demora e diga que me queres,
Esquece esses teus medos e não esqueça do segredo que te contei:
Que serás sempre meu Rei,
E eu tua Natureza eterna.


( Cáh Morandi )

Nenhum comentário:

Curta