12 de abril de 2007

Cansaço



Imenso abismo entre essa varanda e o chão
Sentada, calada, pernas cruzadas e sobre elas minhas mãos.
Pensamento vagando sem tino lembrando de um alguém
Chorava e gemia baixinho para que não ouvisse ninguém

O mar batia calmo e o vento já esfriava meu corpo ainda molhado
A areia se movia como todos os meus lindos desejos sonhados
Abracei-me sozinha enquanto o sol rei ia se pondo
Sumindo no infinito parecendo comigo quando me escondo.

Foi breve, e tudo na vida ainda nasce
As flores, as estações, as esperanças.
E tão jovem ainda eu, tão sonhadora
Estou cansada.


( Cáh Morandi )

Nenhum comentário:

Curta