3 de março de 2007


Incontida imensidão de Amar
( Cris Poesia e Cáh Morandi )


Olho para lua,me sinto uma estrela a brilhar
É por que sou o que sei amar
Amando me perco,entre nuvens a procurar...
A que brilha mais forte entre a imensidão
A que suporta qualquer clarão,tamanha imensidão de amar
Sou a única estrela que de todas tem coração
Trago comigo um brilho,que não há empecilhos a procurar
Nas expressões incontidas e expressivas de um sentimento a me tomar
Repentinamente o que sinto nessa noite ímpar e desvairada
É que por ser a estrela mais distante eu seja a tua desejada
E por todas a mais sonhada, brilhante e acariciada...
E quando me olhas com tanto querer em me tocar
Olhar tão terno,além da alma a me enxergar...
Desisto do céu e desço para ao teu lado estar
Me perco no teu seio,sem anseio, afogando-me me embreio
E novamente recomeço o deleite de te amar
Sem pressa e sem demora, no tempo incontável das horas
Que tenho para te dar
Desejo incontido e preciso, testemunha constelar.



Nenhum comentário:

Curta