14 de fevereiro de 2007

O Poema que era doce



Dedicada a Roseli Fagoni


Se a doçura e a sinceridade
Em algum lugar pudessem habitar
Era na vida e nas palavras tuas
Que elas iriam estar
É que Deus quando te criou
De certa forma exagerou
De tanta bondade a exalar
O sorriso que esbanja
E a verdade que de ti emana
Souberam me encantar
Eu que nem poesia sei fazer
Quis alguma coisa te oferecer
Retribuindo a amizade a me dar
Se diz que emociona quando me lês
É que vez em quando saio da sensatez
E deixo minh’alma para o mundo gritar
Eu que nem sabia o valor único da amizade
Encontrei , quem diria, numa comunidade
A amiga mais confidente para meus segredos partilhar.
Se eu pudesse no céu iria uma estrela buscar
Mas como coisas impossíveis não posso te dar
Peço a Deus para tua vida com carinho guardar.
E toda noite quando fizer minha oração
Eu lembrarei do teu nobre coração
E nele terei onde minha vida espelhar.
Como poeta nada de riqueza tenho para te oferecer,
Mas das palavras que sempre souberam me render
Agradeço por na minha você estar.
Por meu caminho iluminar,
Pelas palavras certas que tens... quando eu precisar.


Cáh Morandi

Nenhum comentário:

Curta