23 de fevereiro de 2007


Dorzinha no Peito

Dorzinha no peito
Ou é amor ou é saudade
Que me consome e invade
Nessas tardes tão vazias
Quem dera que minhas mãos frias
Tivessem um pouco de teu calor.
E que houvesse em minha boca
Outro gosto que não fosse teu sabor.
Mas é amor ou é saudade
Que dói e que me confunde.
Deus, de certeza meu peito inunde,
Pra que eu não sofra de duvidar
Ou é amor ou é saudade
E eu descobri que tenho os dois:
Amor eu sou toda quando estou perto de ti
Saudade é todo vazio que sou
Quando não estás aqui.


.

.

.

Um comentário:

Nilson Barcelli disse...

Copiou esta foto do meu blogue.
Teve bom gosto, pois está a ilustrar um excelente poema.
Beijo.

Curta