22 de setembro de 2006




Não gosto das palavras. Elas nunca vão ser como o teu sorriso, ou como o teu toque. Elas vão querer sempre um antes e um depois, para transcenderem o aqui e o agora. Vão querer arrastar-nos para a previsibilidade pegajosa. E nós não temos memória. Temos sorrisos e beijos. Temos quedas no tempo. Temos abraços.

mas fecho os olhos e ainda te vejo.


ॐ Lakshmi

Nenhum comentário:

Curta