25 de janeiro de 2017

se eu sugar a memória
tentando recompor todos 
os traços, não será você
posso me debruçar sobre
tua caligrafia para decifrar
os enigmas, não estará você
provar o sal da lágrima
na boca para reviver o gosto
do toque, não trará você
entre o abismo do mundo em 
que você existe e este em que 
te imagino, como continuar caindo
sem saber se é indo até o fundo
que te encontro?

 Cáh Morandi

para quem sempre
esquece, amar fica
bem mais fácil

por estar do outro
lado, doer fica
bem mais claro

mas não raro, é mais
doce, embora duro, ser
mais feliz quem tem
passado

Cáh Morandi

4 de janeiro de 2017

ansiosa, nas tuas margens
piso descalça no território
do quase-impossível
ao contrariar a lógica
ao enlouquecer a razão
ao desmitificar os ritos
ao assumir os riscos
e estar na esfera-espera 
a corroer em meu entorno
porque em mim
rompi todas as fronteiras:
agora, abres ou te invado
de onde venho para te amar
não há caminho de retorno

Cáh Morandi

12 de dezembro de 2016

o amor é sempre
um relógio atrasado
em muito tempo
em mim
por isso o ar de surpresa
como se não te esperasse,
porque de fato não sabia
que virias coroar os dias
antigos me percorrendo
pé por pé, ensaiando
o som de meu assoalho
aceito amar sem saber
a espera, sem premeditar,
sem questionar de que
futuro você vem me
desvendando

Cáh Morandi

25 de julho de 2016

desejei ter amado
antes, mas não sei
quais esquinas em
eu estava distraída
ou com tanta pressa 
a ponto de não
reconhecê-lo
foi preciso tropeçar
para me distrair, e
gritar de dor ao bater
o coração na quina
do encontro
depois, embora me doa,
para não te perder
apaguei os nomes
das ruas e te dei
meu corpo como
endereço

Cáh Morandi

24 de julho de 2016

It is strange how the
world got small
when I started
repeat the roads
and not even
closing my eyes
too hard
I awoke that
apocalypse
I thought
expected
but I have been imagining
that the world can again
be great at a time
when I am renewed
In a child’s hope
I remember the summer rains
and being purposely
unprotected I feel
infinitely sunny


Cáh Morandi

19 de julho de 2016

taken by surprise, love
crossed my skin,
tore my flesh, devoured
my bones, became my
spirit and changed the clothes of
my weary soul
thus: to kiss my forehead
washing my eyes, for
weaning with the affections
and be tailored by
old hardnesses. thus:
to wake me in the embrace
and thrill me to know myself
safe and touchable - yet
I hear your plans to invite me
for the future and all I can do
it is to be careful not to compromise
the memory: I know you
since when my poem
just imagined you

Cáh Morandi
depois que
se sobrevive ao
amor não há
lugar seguro
não há tetos
pra proteger
não há muros
pra sitiar
forja-se em
coragem e vive-se
em campo aberto

Cáh Morandi
quando errei
errei bonito
bem onde eu
queria
e não é fácil
errar de primeira
quando só se tem
uma chance e a vida
te dá o momento
perfeito
é muito azar
tanto talento

Cáh Morandi

12 de julho de 2016

propositalmente
que fragmentei
meu amor e te enviei
sem colocar endereço
penso que
é melhor um amor
perdido e que, de
repente, pode ser
encontrado
do que entregue
no lugar certo
no tempo errado

Cáh Morandi

Curta